Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

limbos verdes

limbos verdes

22 Mar, 2021

pelos trilhos

montejunto (1)

 

408ABBFD-7578-4937-9DDE-77EEBF22D4B9.jpeg

3944513A-6633-4189-B683-9AC9EABCC52D.jpeg

831CC2AD-BC0A-4A62-8EAA-528031A63F4B.jpeg

Segundo a minha mãe, fui à Serra de Montejunto com ela e com o meu pai  nos meus primeiros anos de vida. Não tenho qualquer memória desse passeio. Foi, por isso,  como uma primeira vez. 
Mal cheguei, e como fui sozinho, segui um trilho identificado. Gosto de sair dos percursos habituais e de ir atrás de alguma planta que me chame a atenção. Mas não quis arriscar numa primeira visita, num espaço que me pareceu grande e que desconheço completamente. 
Vi logo várias 'orquídeas gigantes' ainda em floração (perfeita).  A certa altura, saí desse trilho e comecei a descer um outro, muito mais inclinado, mais 'hard', como diziam algumas placas de madeira. Só quando cheguei lá a baixo percebi que teria de subir tudo outra vez, e que o sentido da palavra 'hard' seria experienciado na subida e não tanto na descida. 

DE47286B-810A-46FF-B849-0D60FCE2207A.jpeg

37011AD1-4DB0-416D-9F8A-7D2B4196E94E.jpeg

Gostei bastante.
Nessa descida fui identificando uma série de plantas, várias que não tenho aqui por perto. E faz sentido, num local com uma altitude superior a 500 m e geologicamente rico em rocha calcária tem uma vegetação particular.  
Sentir os aromas das diversas florações, algumas abundantes. Foi uma experiência incrível que recomendo, principalmente neste período primaveril. Vou repetir nos próximos meses, estou certo. Até porque a vegetação e as flores vão mudando ao longo do tempo. Portanto, será sempre  uma experiência diferente. Ao descer o trilho 'hard' (desculpem-me mas não registei o nome oficial do trilho) atravessar a zona dos alecrins (Rosmarinus officinalis) e das pascoinhas (Coronilla valentina,) foi  uma experiência riquíssima do ponto de vista sensorial. Os azuis e os amarelos das flores, os aromas, ... com uma vista deslumbrante a acompanhar. Maravilhoso! 

740776A3-456C-4909-8031-28EE51262F32.jpeg

619E545E-CF2A-4661-B982-5EE916BB80FB.jpeg

1.Himantoglossum robertianum
2. Anemone palmata  (brancas e amarelas, por aqui só têm crescido amarelas)
3. Raphanus raphanistrum

4. As campainhas ibéricas, Hyacinthoides hispanica 

EE06E6D6-E7D8-4121-B0FD-D6B8A8568390.jpeg

BF1B3143-3014-4672-9CDE-675C9037E651.jpeg

77904D88-D9A6-4138-BBBD-EE005C3B06B7.jpeg

5. Euphorbia

6. Pulicaria
7. Bellis perennis

8. Cytisus striatus ( a giesteira das serras)

9. Narcissus bulbocodium 

10. Romulea bulbocodium

11. Peucedanum oreoselinum

12. Fritillaria lusitanica

9D828605-56D5-431D-BE4B-A89757BE385F.jpeg

C615486F-2787-4CB4-B7BF-95243BBE21A2.jpeg
Bocas de lobo, alecrins, anémonas, os pequenos mas brilhantes botões d' ouro, as pascoinhas e margaridas. 

3AB9C912-6D90-4FB9-B5E1-F1174EDBCEA8.jpeg

Quando cheguei lá abaixo, ao final deste trilho, andei alguns metros até encontrar o trilho que seguiria para voltar para cima. Muito íngreme. É importante levar calçado apropriado. Facilita bastante a vida. Cheguei a meio do percurso bastante ofegante. Decidi sentar-me numa pedra,  beber água e contemplar a paisagem. Quando olho para os lados (esquerdo primeiro e direito depois ) vejo uma Ophrys fusca (já a secar) e um sedum . Sorri e decidi continuar. Encontro então imensas orquídeas silvestres. 

C9640EB5-79FA-454A-8690-46F29F22A7FB.jpeg

A270B589-FF70-46C9-B9BA-59B9929E1DB7.jpeg

FC14910C-42E4-4975-827D-6709BC401C94.jpeg

86E30BC2-82D0-4CE3-82B3-B9B9DCEE7460.jpeg

5E7E4442-151C-4CF8-9E2C-31794CF14694.jpeg

13.Orchis mascula (primeira vez que as vi) 
14. Orchis  anthropophora
15. Orchis italica 

16. Cephalanthera longifolia

59D2BF14-493B-4714-9C8D-72DA0F87014C.jpeg

41485583-4F17-41E1-8895-B46CCD93543F.jpeg

5EFD59F1-507F-4645-8215-0C08BA00F040.jpeg

(continua)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.