Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

limbos verdes

limbos verdes

59DACA36-76C2-4176-9F28-AF3E0CD0D8FC.jpeg

 

" Portanto, parece difícil definir uma planta como "um indivíduo". Tanto que já no final do século XVIII começou a circular a ideia de que as plantas- em particular as árvores- poderiam ser consideradas verdadeiras colónias, compostas de unidades arquitectónicas reiteradas. Em 1790, Johann Wolfgang von Goethe[1749-1832], um botânico brilhante e também um erudito, escreveu: "Os ramos laterais que se originam dos nós de uma planta podem ser considerados plantas jovens solteiras que se prendem ao corpo da mãe, da mesma forma que esta se fixa ao solo". Erasmus Darwin [1731-1802] (...) adoptando a ideia de Goethe, afirmou em 1800: " Cada gema de uma árvore  é uma planta individual; uma árvore é, portanto, uma família de plantas únicas". (...) 

A isso podemos acrescentar que o conceito de unidades reiteradas é válido não apenas para a parte aérea da planta, mas também para o sistema de raízes. De facto, cada raiz única tem seu próprio centro de comando autónomo que actua orientando sua direção, mas que, como em uma verdadeira colónia, coopera com os outros ápices das raízes para resolver problemas relativos à vida da planta em geral. E ter desenvolvido uma inteligência distribuída - que é um sistema simples e funcional que lhes permite encontrar respostas eficazes para os desafios do ambiente em que vivem - atesta como as plantas são evoluídas. "

in Revolução das Plantas, Stefano Mancuso

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.